sexta-feira, 31 de maio de 2013

DIA DAS CRIANÇAS...



AMANHÃ, 1 DE JUNHO, DIA INTERNACIONAL DAS CRIANÇAS.




...AH NHA GUINÉ...

Isto não esta nada bem! "Pa deus djudanu... Incha allah"!




GOVERNO DE INCLUSÃO DA REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU

Num regime multipartidário semipresidencialista, o governo deve ter sustentabilidade parlamentar, caso contrário o regime passa a ser chamado de ANTI-DEMOCRÁTICO, DITATORIAL, entre outros. 

Em 17/05/2013, PAIGC e PRS, assinaram, na sede UA-União Africana em Bissau, memorando de entendimento, tendo em vista a formação de governo de inclusão. O entendimento entre os dois partidos políticos guineenses, foi mal acolhido por pequenos partidos políticos (partidos sem representação parlamentar) que apoiaram/apoiam/apoiarão golpe de estado de 12 de Abril de 2012. Estes partidos políticos têm exercido pressão junto das autoridades de transição e militares a fim de serem incluídos no próximo governo.

Para satisfazer os desejos dos partidos GOLPISTAS, o PRT-Primeiro-Ministro de Transição, decidiu, Unilateralmente, atribuir 3 pastas ministeriais a cada um dos partidos signatários do memorando do entendimento (PAIGC e PRS). Ambos os partidos, recusaram e bem, a proposta do PRT tendo em conta que o memorando de entendimento foi apoiado por todos os partidos com representação parlamentar e pela esmagadora maioria da comunidade internacional (financiadores do próximo governo). Saliento o facto de ser impossível formar um governo de inclusão que não tenha reconhecimento do PAIGC e PRS. Sem apoio dos partidos com representação parlamentar, o próximo governo não será reconhecido pelos guineenses incorruptíveis e, consequentemente, pela esmagadora maioria da comunidade internacional. 

O PRT devia agradecer ao PRS e PAIGC por lhe terem mantido confiança política e, consequentemente, como Primeiro-Ministro do próximo governo. Entendo que, o próximo governo deve aparecer de cara “lavada” face aos desafios do país. Entendam de uma vez por todas que, só um governo constituído de pessoas de carácter imaculado e méritos reconhecidos estarão em condições de defender os nossos compatriotas junto das autoridades judiciais americanas, caso contrário, os EUA irão raptar todos os acusados e julga-los ao seu bel-prazer. Que fique bem claro para os políticos e militares guineenses que, os implicados pela justiça americana no tráfico de droga e armamento, não têm/terão hipóteses de escaparem: vivos ou mortos serão capturados. Se o BIN LADEN não conseguiu escapar, não vejo como os nossos compatriotas vão conseguir escapar com menos dispositivos de segurança e soldados corruptos.

O Engenheiro Rui Duarte de Barros, não está em condições de liderar o próximo governo. Enquanto PRT, falhou todos os objetivos estipulados na carta de transição: Governou o país durante um ano sem Programa de Governo e Orçamento Geral de Estado. E como se isso não bastasse, distribuiu dinheiro de estado para fins propagandísticos às pessoas sem nenhum vínculo laboral com estado guineenses em detrimento dos funcionários da administração pública. As autoridades de transição deviam utilizar o dinheiro provenientes do tesouro público para honrarem os compromissos assumidos pelo estado guineense. 

Enquanto trabalhador do então Consulado-Geral da Guiné-Bissau em Lisboa, o estado guineense deve-me dinheiro e tem que o pagar. Eu servi, condignamente, ao estado guineense quer em Bissau quer em Lisboa. Participei na modernização e informatização do Então Consulado-Geral e Embaixada da Guiné-Bissau em Lisboa. Por esse motivo, sinto-me revoltado após ter conhecimento que, as autoridades de transição pagaram milhões de francos CFA às pessoas que nunca serviram o estado guineense para as defenderem dos ataques que têm sido alvo. Há quase 4 anos que aguardo o pagamento dessa dívida. Tenho conhecimento que, o chefe de Departamento das Finanças do Ministério dos Negócios Estrangeiros terá cancelado emissão do título para o pagamento do montante em dívida e os juros inerentes ao processo sob pretexto de estar a espera de orientações do atual MNE- Ministro dos Negócios Estrangeiros. Pois saibam, o montante em dívida não terá caído do céu. Foi o Tribunal de Trabalho do Barreiro quem determinou o pagamento do valor em dívida. Deste modo, não têm como evitar o pagamento. Quem me deve o dinheiro não é uma pessoa, mas sim o estado da Guiné-Bissau, por isso, exijo explicações por parte do Ministro dos Negócios Estrangeiros.

POUCA VERGONHA TEM LIMITES…

Amará Siaja Jaurá
Engenheiro Eletrónico

NOTA DE IMPRENSA DO PRS...





A Comissão Executiva reunida em sessão extraordinária, hoje dia 30 de Maio do corrente, analisou atentamente o conteúdo da carta endereçada pelo Primeiro-ministro de Transição à Direção Superior do Partido, com o propósito de obter uma reação sobre as pastas ministeriais atribuídas ao PRS no quadro da remodelação governamental em curso.
A Comissão Executiva para além de discordar totalmente com a proposta do Primeiro-ministro, lembra que a metodologia de repartição contida na proposta, agora apresentada, não tem minimamente em conta o Memorando de Entendimento assinado entre o PRS e o PAIGC na presença da Comunidade Internacional, que não só o apoiou, como ainda se congratulou com a referida iniciativa.
A Comissão Executiva do Partido da Renovação Social além de responsabilizar os órgãos de transição pelo pouco sentido de Estado manifestado com esta postura unilateral de negociação, comunica ao povo guineense que não poupará esforços no sentido de viabilizar o retorno à normalidade constitucional, e por isso apela ao concurso da Comunidade Internacional em continuar atenta às manobras obscuras que manifestamente não estão a velar pelos superiores interesses da Nação guineense nesta remodelação governamental.
A Comissão Executiva reafirma o seu apoio à postura responsável dos grupos parlamentares do PRS e do PAIGC na adoção de importantes instrumentos jurídicos de transição, como o Pacto de Transição, o Roteiro de Transição e o Acordo de Princípios, demonstrando assim a sua maturidade política ao respeitar o compromisso obtido na Presidência da República, na presença de Sua Excelência, o senhor Presidente da República de Transição, de Sua Excelência, o senhor Presidente da Assembleia Nacional Popular, de Sua Excelência, o Chefe de Estado-maior General das Forças Armadas, e do representante da Comunidade Internacional.
A Comissão Executiva do Partido da Renovação Social exorta as entidades responsáveis de transição a continuar a negociar com o PRS e o PAIGC, os signatários do Memorando de Entendimento, a fim de se conseguir uma solução digna na constituição de um governo remodelado de inclusão e de base alargada.
Por fim, a Comissão Executiva reafirma a sua total firmeza na prossecução da salvaguarda dos legítimos interesses da Nação Guineense.


Bissau, 30 de Maio de 2013
Alberto Mbunhe Nambeia
Presidente

É SEMPRE ASSIM: " UM PASSO À FRENTE E DOIS ATRÁS "...



Os dois maiores partidos da Guiné-Bissau
recusaram a proposta do primeiro-ministro para a formação de um novo Governo, que contempla menos de metade do total de ministérios para PAIGC e PRS.

O primeiro-ministro do Governo de transição enviou uma carta ao Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) e ao Partido da Renovação Social (PRS) a pedir-lhes que enviem até às 12:00 de hoje as propostas de nomes a integrarem um novo executivo.

Nas cartas, Rui de Barros pede nomes para quatro ministérios ao PAIGC e para três ministérios ao PRS. Caso o executivo remodelado seja idêntico ao atual, terá 15 ministérios.


O MUNDO NÃO DEVE ABANDONAR AS VÍTIMAS DA HISTÓRIA NA G.-bISSAU...


[Thompson%2520nas%2520ruas%2520de%2520Bissau%255B3%255D.jpg]
Peter Thompson, coordenador do grupo parlamentar britânico para a Guiné-Bissau, deixou um aviso à comunidade internacional, no sentido que a Guiné-Bissau deverá reconciliar-se com o seu passado antes de ter um melhor futuro.

Falando numa conferência internacional de paz que teve lugar na Irlanda do Norte, Thompson disse que resolver o passado é o primeiro passo para uma Guiné-Bissau mais estável.

Desde a independência, a Guiné-Bissau foi andado de crise em crise, de golpe em golpe, de assassinatos em assassinatos. Ao povo da Guiné-Bissau nunca foi dada a dignidade de um processo de verdade e reconciliação nacional. Várias comunidades guineenses no país têm perguntas sem resposta acerca do passado e desejam falar sobre isso”.

Acrescentou ainda: “Chegou o tempo de as vítimas serem legalmente reconhecidas como tal. Justiça histórica, através de amnistias verdadeiras ou ainda os tradicionais “fóruns locais” deverão ser tidos em consideração. Estas respostas não se encontram num livro – encontram-se nos corações do povo guineense. Vamos ouvi-los e dar-lhes força para prosseguir”.
Thompson afirmou também que os membros das Forças Armadas que foram mortos, feridos ou torturados durante a guerra da independência, a guerra civil ou noutro conflito interno, deverão ser formalmente reconhecidos como vítimas, em paralelo com as suas famílias.

Um processo de reconciliação nacional não pode ter uma hierarquia de vítimas. Soldados que sofreram devem ter o mesmo reconhecimento que as vítimas civis da guerra colonial ou das vítimas da violência militar guineense nos últimos 50 anos. Não nos vamos esquecer que os soldados guineenses são também seres humanos e que as Forças Armadas do país deram ao seu povo a dignidade da independência e da auto-determinação.”

Thompson, ele próprio uma vítima do conflito na Irlanda do Norte, é o membro internacional da Comissão de Reconciliação na Assembleia Nacional Popular.

NOVAS DA GUINÉ BISSAU

LUTA CONTRA MUTILAÇÃO GENITAL FEMININA...






Depois de uma disposição legal que proíbe a excisão em todo o território nacional e dos líderes religiosos terem elucidado que esta prática nada tem a ver com os fundamentos islâmicos, agora são as próprias comunidades tradicionais que declaram voluntária e publicamente o abandono a mutilação genital feminina.

Foi perante centenas de populares de Bafatá que se assistiu as grandes Comunidades dos Bairros de NEMA e TOROBE a declararem publicamente que abandonaram e que não vão permitir a prática de mutilação genital feminina nas Mulheres e Crianças. Estivemos a ouvir o Representante de Imames a ler a declaração pública a propósito. Um passo importante, se não determinante, na abolição desta prática tradicional e propositadamente colada a religião pelos seus defensores.

Em Bafatá, os bairros de NEMA e TORROBE, são considerados os mais pegados à prática de excisão, daí a razão da ONG René RENTÉ, palavra dialecto Fula, que significa acautelai-vos, ter investido todos os seus recursos estratégicos para convencer as comunidades respetivas a abandonarem tais práticas. E aparentemente conseguiu, resultado de um trabalho de três anos de promoção de campanhas de sensibilização no terreno – diz-nos Pauleta SAMBU, a Coordenadora do citado projeto da ONG René RENTÉ, que intervém em Bafatá no domínio da Luta contra Práticas de Fanado(mutilação genital) na Mulher e Criança.

Para chegar a este ponto positivo, em Bafatá, Pauleta SAMBU, reconheceu que muitas etapas difíceis foram enfrentadas e vencidas.
Tcherno Baldé, representante da Comunidade do Bairro de TOROBÈ, por sinal Presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos, para a região de Bafatá, logo depois da declaração pública e comovente de uma velha “fanatéca” em como excisar crianças deixou de fazer agora parte da sua agenda e que nunca mais vai pegar em qualquer material cortante para mutilar órgãos genitais de uma criança ou mulher, acautelou-se, sugerindo que a declaração publica seja efetiva e que não se venha a fazer prática as escondidas.
Seja como for, a convicção de promotores e de organizações que lutam contra a mutilação genital feminina na Guiné-Bissau é de que algo importante foi ganho com tais declarações públicas em TOROBÉ e NEMA. Maria Domingas Gomes, Presidente da ONG DJINOPI, sigla sobre qual, em crioulo, se define por DJINTIS NÔ PINTCHA, em português, pessoal avancemos, não escondeu a sua satisfação pelas tais conquistas junto das Comunidades.

Estas representam a terceira das quinze declarações que o projecto de combate à mutilação genital feminina da ONG DJINOPI tem em perspetiva nas comunidades em Bafatá, Bissau e outras áreas do território nacional, sobretudo nas zonas com maior incidência da prática da excisão.

VOA - Lassana Cassamá

quinta-feira, 30 de maio de 2013

CONSELHO SUPERIOR DE MAGISTRATURA INDIGITA NOVO PRESIDENTE DE CNE...



O ex-Procurador-geral da República,
Fernando Jorge, foi indigitado pelo Conselho Superior da Magistratura Judicial, para exercer a função de Presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE), com a missão de preparar e organizar o próximo acto eleitoral no país, previsto para Novembro.

Com a escolha, Fernando Jorge devia ser coadjuvado por três novos Secretários Executivos da CNE, respectivamente os magistrados Lima André, Gabriel Djedjo e a magistrada Cátia Lopes, actualmente em funções na Vara Crime do Tribunal Regional de Bissau.

Entretanto, esta lista não foi aprovada pelos deputados da Assembleia Nacional Popular (ANP) que, a 29 de Maio, adotou um novo Pacto de Transição, a partir do qual será criado um novo Governo inclusivo e serão fixadas as metas para o período de transição.

Na Guiné-Bissau, o novo período de transição deverá terminar com a realização das eleições Gerais ainda este ano.

ANEDOTA...



POLITICAMENTE FALANDO

NHU MALAM I UM BOM PAI DI FAMILIA UM FUNCIONARIO PUBLICO EXEMPLAR...I TA VIVE KU SI MINDJER NHA JOANA I EH TENÉ 2 FIDJUS DI 15 I 13 ANOS...NHU MALAM A 8 ANOS ATRAS DICIDI ENTRA NA POLITICA ATIVA...SORTI BIM BATIL PORTA EH TCHOMAL PÁ CEDU MINISTRO...SINTADU NA TORPEÇA DI PODER, NHU MALAM KUNSA MUDA...MITI MOM NA DINHERO DI ESTADO RANCA, QUERENÇAS KU KATORZINHAS PATCHARI...I BIDA PATRUCINADUR DI FESTAS, BATIZADUS, TOCA TCHUR ETC ETC...
SUMA LI I PISTAM N´PISTAU...GOVERNO CAI KONHÓS...UM SUMANA DIPUS UM KATORZINHA DISATENTA LIGA NHU MALAM: PAPI, PAPI, N´TENE NIVER DI NHA AMEIGA, MISTI BAI CUMPU CABELO KU UNHA, N´PEGA TAM ROPA LA NA BUTIQ.
NHU MALAM PÁ KÁ DÁ ABAIXO...SIM, PABIA MALAM STA BADJA NA FALENCIA POR FALTA DI GERENCIA...I FALA KATORZINHA I STA BOM NA MANDA NHA SUBRINHU LA KU DINHERU, I DISLIGA I PUI MOM NA CABEÇA.
DIDU MÉ KATORZINHA TENÉ BÁ UM JANTAR MARCADO KU SI CHAVALO. KI DIA TCHIGA I PURPARA TUDU I NA PERA PA CHAVALO SURGI KILA KA SURGI...I LIGA KILA MAS DI 8 BIAS NADA, KILA KA NA ATINDI...AFINAL CHAVALO TAMBI NA PERA BÁ UM DINHERO KU NHA JOANA SI AMANTI PRUMITIL, SIM PORQUE OTCHA VIDA MUDA I KA SÓ NHU MALAM KU TA RANDJA BÁ JOVENS SARADUS, NHA JOANA STA BA TAM NA "PAKA PAKA" NA RUA.
MA SUMA DINHERU KU NHU MALAM DIDU DA BA NHA JOANA I DA SI KATORZINHA EL, N´TÁ NHA JOANA FICA SIM DINHERU PÁ DÁ SI JOVEM. 
LOGO FIM DI SUMANA FICA STRAGADU PA TUDU GUINTIS...NHU MALAM TUDJIDU GITRIMENTU NA CASA...NHA JOANA FICA SIM "BERKILÓ" DI JOVEM...JOVEM FICA SI GITRIMENTU DI KATORZINHA. I SUMA KATORZINHA SINTA NA CASA PÁ PERA CHAVALO PA BAI JANTA I BIM KABA PA ASSISTI TELEJORNAL, LA I KABA PA DISCUBRI KUMA GOVERNO DI NHU MALAM KAI...I NHU MALAM FICA SIM KATORZINHA.

"KAFUMBERO"

POLÍTICA DE BAIXO NÍVEL...

O porta disparate do GT está frustrado e anda de cabeça baixo com pé em cima devido ao anunciado criação de um governo de inclusão, fez um despacho em que exonerou o seu Chefe de Gabinete e mais dois assessores jurídicos afecto ao seu pelouro, evocando a quebra de confiança em relação aos senhores exonerados. Por outro lado o senhor Nando Vaz alegou vários motivos que originou esta quebra de confiança começando afirmar que três elementos exonerados utilizam com frequência o blog Ditadura do Consenso, por outro lado disse que estes andam a fazer dentro do seu gabinete de trabalho o trabalhos para Carlos Gomes Júnior, por ultimo acusou os mesmos elementos de que um destes afirmou que o senhor Nando Vaz vai deixar o ministério da Presidência do Conselho de Ministros e os restantes limitaram a dar gargalhadas.

Este assunto merece uma outra abordagem, que o seguinte:

Na administração pública todos os servidores publico estão sujeito a exoneração e promoção mais não na base de calúnias ou difamação, portanto os senhores exonerados merecem um bom nome na praça pública porque tem família e são pessoas de bem, portanto devem apresentar uma queixa contra o Porta Disparate por calunias e difamação e devem exigir o senhor porta disparate para apresentarem provas sobre as suas acusações.

Por outro lado os senhores que foram acusados pertencem a geração de ouro na Guiné Bissau porque um deles exerceu o cargo do Presidente do Conselho Nacional da Juventude CNJ e um outro foi Presidente da Rede Nacional das Associações Juvenis RENAJ, portanto são pessoas com uma grande reputação e granjeiam respeito dentro da panorama guineense, aliax os ambos senhores foram eleitos através de um processo democrático e no momento certo abandonaram a liderança Associativo juvenil. O Senhor Nando pelo contrario se não fosse pelo golpe de estado seria alguém ou Ministro na Guiné Bissau? Qual é o passado deste senhor em comparação com os senhores que estão a acusar?

Numa outra vertente, é bom interrogar: existe alguma lei que proíbe a utilização do bog Ditadura do Consenso? E como é que o Nando sabe das informações deste blog? Por ser utilizador assíduo deste blog?

Será que a preocupação do Nando Vaz continua a ser o Carlos Gomes Júnior?

ESPERAMOS PELAS RESPOSTAS

Zico Djassi, in Ditadura do Consenso

PAIGC NEGA CULPAS NO ATRASO DA FORMAÇÃO DO NOVO GOVERNO...



O Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) declinou hoje qualquer responsabilidade na demora para a formação de um novo Governo na Guiné-Bissau,
culpando o primeiro-ministro pelo atraso.

A comunidade internacional tem exigido a formação de um novo Governo de transição na Guiné-Bissau, que seja mais inclusivo, substituindo o atual executivo, também de transição, formado na sequência de um golpe de Estado em abril do ano passado.

Há meses que os políticos guineenses estão a discutir o novo processo de transição, mas, até agora, ainda não foi anunciado o novo Governo.

PAIGC e Partido da Renovação Social (PRS), o primeiro e o segundo partidos mais votados nas eleições de 2008 (e que compõem a esmagadora maioria da Assembleia Nacional Popular), assinaram um memorando de entendimento a 17 de maio e na quarta-feira o parlamento adotou um novo Pacto de Transição e Acordo Político para levar o país até eleições.

"Até agora espera-se, como acordado, que o senhor primeiro-ministro de transição convoque os dois partidos, PAIGC e PRS, para discussões" e que a proposta final seja remetida ao Presidente de transição, para este decretar o novo Governo, diz o PAIGC em comunicado.

Tal ainda "não aconteceu", acusa o Bureau Político do PAIGC, que considera a situação "estranha e incompreensível" e apela ao primeiro-ministro e ao Presidente da República para que respeitem a Constituição e os instrumentos políticos e jurídicos de transição.

A base e a origem das propostas de formação de Governo são os partidos políticos e o primeiro-ministro, afirma o comunicado, acrescentando que, tal como os dirigentes do PAIGC e do PRS já disseram, "os responsáveis da transição" devem colocar "os interesses da Nação e dos guineenses acima dos seus interesses e compromissos pessoais".

O Bureau Político do PAIGC diz também que o atual momento que a Guiné-Bissau atravessa requer um elevado sentido patriótico dos guineenses em geral e em particular do Governo e do Presidente.

O PAIGC e o PRS "têm dado um inestimável contributo para a consolidação deste processo de transição" e deram ao Governo e ao Presidente "um subsídio importante, tanto no que se refere à orgânica, como à composição do Governo" para que hoje "pudéssemos já ter um novo Governo", diz o comunicado.

Na sequência de um golpe de Estado, a 12 de abril do ano passado, que afastou as autoridades eleitas, a Guiné-Bissau iniciou um período de transição que devia culminar com eleições ao fim de um ano.

Como nada aconteceu, o período de transição foi prorrogado até final deste ano, havendo o compromisso dos responsáveis de fazer eleições nesse período. Há mais de um mês (a 28 de abril) que o Presidente de transição disse que o novo Governo estava "para breve".

LUSA

MORTALIDADE INFANTIL...



A Guiné-Bissau ocupa a 7.ª posição mundial no relatório da UNICEF sobre a Situação Mundial da Infância 2013
, quanto à taxa de mortalidade de menores de cinco anos, com 161 crianças por mil nascidas vivas.

De entre os países lusófonos, segue-se Angola, na 8.ª posição, com uma taxa de mortalidade de menores de cinco anos (TMM5) -- que representa, nos termos da definição dos indicadores da UNICEF, "a probabilidade de morrer entre o nascimento e exactamente cinco anos de idade, por mil nascidos vivos" -- de 158 crianças em 2011, contra 243 em 1990.

Moçambique classifica-se no 22.º lugar da lista, utilizada como "principal indicador dos progressos em direcção ao bem-estar da criança", lê-se no documento, com 103 crianças entre cada mil nascidas vivas a terem elevada probabilidade de morrer nos primeiros cinco anos de vida, em 2011, em contraste com as 226 que se encontravam nessa situação em 1990, indica o relatório.

A 28.ª posição da lista pertence a São Tomé e Príncipe, onde, em 2011, 89 crianças em mil enfrentavam esse limite temporal, contra 96 em 1990.

Timor Leste encontra-se no 51.º lugar, com uma TMM5 de 54 crianças em mil, muito menos que a registada em 1990: 180 em mil.

O arquipélago de Cabo Verde classifica-se na 91.ª posição, apresentando uma TMM5 de 21 crianças em mil, contra 58 em 1990.

Na 107.ª posição, está o Brasil, que ocupa o último lugar entre os países lusófonos com a mais baixa taxa de mortalidade de menores de cinco anos, 16 crianças em 2011, contra 58 em 1990.

Segundo o documento, "em 1970, aproximadamente 16,9 milhões de crianças menores de cinco anos morriam a cada ano. Em comparação, em 2011, foi estimado em 6,9 milhões o número de crianças que morreram antes do seu quinto aniversário -- o que coloca em evidência uma queda significativa, no longo prazo, no número global de mortes de menores de cinco anos".

EAGB !!!!!....

Escrevo estas linhas para colocar uma questão sobre uma empresa pública que tem dado o maior dos desgostos aos guineense - a famosa EAGB. Como é que é possível que uma empresa que detêm o monopólio do seu sector de actividade, isto é não tem concorrência, não consegue prestar um serviço minimamente satisfatório?

- Como é que é possível que funcionários da EAGB tenham tenham energia eléctrica nas suas casas enquanto o bairro todo está às escuras?

- Como é que é possível que o pessoal do serviço de piquete da EAGB, nunca esteja disponível para atender aos clientes que tenham sofrido avarias na rede eléctrica, no seu bairro ou em sua casa, sem que tenham que desembolsar uns trocados em CFA (que às vezes chegam aos quinze mil dos nossos já parcos francos)?

- Como é que possível, depois de tantos anos, ainda não conseguirmos garantir energia eléctrica à capital deste país nem que seja um mínimo de doze horas diários?

- Como é que é possível que um empresa que se diz em dificuldades e que até tem salários em atraso, tenha directores, administradores, todos a andar em carros de alta cilindrada e vivendo no bem bom?

- Como é que é possível, apesar de tudo isso, até hoje, nenhum governo deste país (digo bem, nenhum) conseguiu tomar a decisão de privatizar a EAGB já que não se consegue arrumar gente competente para o gerir?

Acabem com essa pouca vergonha e entreguem a EAGB a quem saiba fazer melhor. Não nos interessa que seja chinês, nigeriano, americano ou javanês...o que interessa é termos algo tão básico hoje em dia como a energia eléctrica na nossa, capital e em nossas casas. Sem energia nenhum país se desenvolve.

De um cidadão indignado e farto de toda esta pouca vergonha!

C.V. Monteiro, in "Ditadura do Consenso"

quarta-feira, 29 de maio de 2013

ASSEMBLEIA NACIONAL POPULAR DA G.BISSAU ADOTA NOVO PACTO DE TRANSIÇÃO...



O Parlamento da Guiné-Bissau adotou hoje um novo Pacto de Transição, a partir do qual será criado um novo Governo inclusivo e fixadas as metas para o período de transição.

O novo período de transição deve terminar com a realização de eleições gerais ainda este ano, depois de um golpe de estado em abril de 2012, que interrompeu o processo eleitoral das presidenciais.

Em declarações aos jornalistas, Rui Diã de Sousa, líder da bancada parlamentar do PAIGC (Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde), afirmou que o novo documento, aprovado pela maioria dos deputados hoje presentes numa sessão extraordinária, vai permitir à Guiné-Bissau "recuperar a sua imagem junto da comunidade internacional".

LUSA

ANEDOTA...


"BOCA KAPLIL!!! "



DUS GRANDIS AMIGOS RICIBI CE SALÁRIO, EH DICIDI BAI BARANDA ALTO PA BAI CUMPRA GITRIMENTU...EH TCHIGA LA EH ODJA UM "FUNCIONÁRIA" NOBU NA ARIA EH FALA: N´BOM ES KU NO NA "SAFA" KU EL. UM SOM FALA: SUMA AMI I MAS GARANDI DIÇAM N´BAI PURMERU...KI UTRU RUSPUNDIL: OK, I STA BOM NA PERAU.
KI UTRU BAI, PASSADO UNS TEMPO I SAI...SI AMIGO FALAL: I KUMA GORA, I BALI PENA??
I RUSPUNDIL: UAIII!!! NHA MINDJER MAS EL TA PEGA TESSU BÓOO...
MA AMIGO DISCUFIADO DICIDI TAM BAI TIRA PROVA... E ENTRA UNS TEMPOS DIPUS I SAI...KI UTRU FALAL: KÉ KU ACHA???...I RUSPUNDIL: U TEM ROÇOM U MINDJER MA TA PEGA TEÇU!!!!!!!!!!!!!!!!

BÓ IMAGINA FIM.

IN KAFUMBERO

PROGRAMA PARA ESTUDAR NO BRASIL DEIXA DE FORA A G.BISSAU...



Nos últimos 13 anos, chegaram ao Brasil através do 
Programa de Estudantes-Convénio de Graduação (PEC-G) seis mil jovens vindos de África. Nesse período, Cabo Verde foi o país que enviou mais estudantes, num total de 2.657, seguido pela Guiné-Bissau, com 1336.

Porém, após o golpe militar sofrido pela Guiné-Bissau, no ano passado, o Brasil decidiu interromper os convénios educacionais com o país. “O Brasil não reconhece o atual governo da Guiné-Bissau. E essa medida de não aceitar estudantes de lá, não é para punir o país, mas para tentar fazer com que a ordem democrática e constitucional volte”, explica a embaixadora Carmen Ribeiro Moura, do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

Para o guineense Fristtram Helder Fernandes, que tem 24 anos e estuda Ciências da Computação na Universidade Federal de Santa Catarina, no sul do Brasil, a interrupção do convénio é uma grande perda para Guiné-Bissau. “ É muito preocupante, são mais pessoas ficando lá sem uma oportunidade de estudar. É uma desvantagem para o meu país e, de certa forma, para o meu continente”, lamenta o estudante.

terça-feira, 28 de maio de 2013

GUINÉ VAI CRESCER!!!!!...


A Guiné-Bissau deve recuperar e crescer 4,2% este ano, depois de ter sofrido uma recessão de 1,5% no ano passado, prevê o African Economic Outlook, um relatório sobre África.

De acordo com o relatório elaborado pelo Banco Africano para o Desenvolvimento, a OCDE, a Comissão Económica de África e o Programa do Desenvolvimento das Nações Unidas, o cenário macroeconómico do país foi afetado pelo golpe de Estado de abril do ano passado, fazendo o país sofrer uma recessão de 1,5%, depois de ter crescido 5,3% no ano anterior.

O défice orçamental foi de 2,3% no ano passado, depois de ter registado um excedente de 0,7% no ano anterior, refere o relatório, que prevê que as contas públicas caminhem para o equilíbrio graças à disciplina orçamental e às melhorias que estão a ser introduzidas na coleta de impostos.

Os bons indicadores macroeconómicos, no entanto, contrastam com a situação social, que o relatório diz ser "precária": no índice de desenvolvimento humano, a Guiné-Bissau tem ainda uma pontuação "muito baixa" e ocupa o 176º lugar entre os 185 países analisados.

O rendimento `per capital` pouco passou dos 610 dólares em 2010, e mais de dois terços da população vive com menos de dois dólares por dia.

domingo, 26 de maio de 2013

BRASIL SOLIDÁRIO...

 






Convidada especial das comemorações dos 50 anos da União Africana, a presidente Dilma Rousseff disse, sábado passado (25 de Maio),
que o governo brasileiro vai perdoar e, em outros casos, reduzir a dívida de um total de 12 países africanos.

"Viemos sistematicamente resolvendo esses problemas (de dívida) para poder ter uma relação agora muito mais efetiva", afirmou Dilma. A cifra das dívidas corresponde a US$ 897,7 milhões, que serão perdoados ou renegociados.

A medida beneficia os seguintes países: Costa do Marfim (US$ 9,4 milhões), Gabão (US$ 27 milhões), República da Guiné (US$ 11,7 milhões), Guiné Bissau (US$ 38 milhões), Mauritânia (US$ 49,5 milhões), República Democrática do Congo (US$ 5,8 milhões), República do Congo (US$ 352 milhões), São Tomé e Príncipe (US$ 4,2 milhões), Senegal (US$ 6,5 milhões), Sudão (US$ 43,2 milhões), Tanzânia (US$ 237 milhões) e Zâmbia (U$ 113,4 milhões).

TAMBÉM É NECESSÁRIO INVESTIR NA MUDANÇA DE MENTALIDADE...



A RELAÇÃO CHINA E GUINÉ-BISSAU

Qualquer diplomata guineense a quem é questionado sobre a relação China e Guiné-Bissau
dirão que a relação é excelente. Se questionar o cidadão comum dirá que a China é
talvez o melhor parceiro do nosso país. Um cidadão mais atento dirá que apesar da China
estar a investir fortemente na construção de edificios públicos tais como; ANP, Palácio do
Governo, Hospital de Canchungo, não chega de facto a contribuir para o desenvolvimento
da capcidade produtiva do país. E isto parece-nos o mais importante porque permitiria o
pais andar com os seus próprios pés. Vamos trabalhar para que os Chineses possam nos
apoiar nesse sentido.


 PROGRESSO NACIONAL

POIS É...

VEJA AQUI: A "BOA ESTRELA" QUE PORTUGAL NÃO APROVEITA...

HISTÓRIA DE VIDA...



Bucari Baldé
chegou duas vezes à Europa e foi expulso. Por isso investiu a vida numa "oficina de bambo" em Santa Luzia, em Bissau, e sonha fazer uma grande exposição de mobiliário em bambu. 
"A Europa só de férias".É sem mágoa que fala das duas tentativas de emigrar, uma para a Bélgica e outra para Portugal, o jovem de 34 anos que há quase 20 trabalha o bambu. "Gosto muito deste trabalho", comentou.

São quatro(
Bucari Baldé incluído), trabalham todos os dias, em cadeiras, mesas, camas, armários ou sofás, das formas e modelos que o cliente queira. Esvanecido o sonho Europa, Bucari quer um dia fazer uma exposição da arte que trabalha, e se possível abrir uma loja.

Clientes não faltam à "oficina de bambo", como diz um letreiro pendurado na parede da barraca onde se guardam os materiais. Porque o trabalho é feito mesmo na rua, à sombra das árvores, que até seria saudável não fosse o constante passar de automóveis.

"O grosso da minha clientela são os estrangeiros mas agora também os guineenses se começam a interessar pelo meu trabalho, os jovens com emprego, aqueles que trabalham nos bancos", conta.

E dos estrangeiros, diz, há os que compram para levar para os seus países, mas também os que compram para mobilar as casas que tenham em Bissau. "Os angolanos (da missão militar) que cá estavam em cada semana compravam dois ou três jogos para levar para a sua terra".

Na oficina fazem "de tudo um pouco". Diz Bucari que antigamente fazia mais estantes mas que agora os pedidos são sobretudo de cadeiras. "Não fiz desde o ano passado mais do que três estantes", diz, enquanto aponta um "jogo de sala de jantar" que pode estar pronto numa semana se se concentrarem os quatro.

O desenho é tirado de revistas ou conforme o pedido do cliente, que "às vezes traz coisas que viu na internet". "Eu faço qualquer trabalho de bambu que quiseres, qualquer, posso fazer uma cama, não há nada que não possa fazer com bambu", garante o jovem, que dá garantia de dois anos para qualquer peça.

Mas a qualidade do trabalho não se compadece com as dificuldades do país. "Dizes um preço a um cliente e ele pede logo para baixares", queixa-se, exemplificando com um jogo de sala de jantar, pelo qual pede 290 euros e que chega a vender por menos 45. Ainda assim, admite: "dá para assegurarmos as nossas vidas".

Mas Bucari Baldé tem outras queixas. O material é comprado na região de Tombali (sul), com cada vara das mais grossas a custar 150 francos (22 cêntimos). E depois paga impostos no transporte para Bissau e na oficina também não falta quem vá cobrar mais dinheiro.

Bucari é da região de Quebo, sul da Guiné-Bissau. Um dia, há 17 anos, viajou para Bissau para tirar o bilhete de identidade e foi ficando pela oficina que na altura era do irmão. Ganhou o gosto pela arte, sonhou com a Europa, acordou à beira da estrada de Santa Luzia e aí voltou a sonhar. Uma exposição e uma loja, que a Europa só se for de férias.

LUSA

sábado, 25 de maio de 2013

OPINIÃO: A PROPÓSITO DE 25 DE MAIO...



Bem "nha ermon fidju di tchon".
Não posso ficar indiferente com essa data.
Como africano e cidadão do mundo que sou.
Acho que este dia tão falado não tem razão para ser celebrado, digo isto com uma enorme tristeza como africano e como Guineense.
No meu ponto de vista politico,económico,cultural e social,acho que todos os africanos devem refletir o que falhou.
Devem reflectir sobre a África.
Devem reflectir sobre as gerações vindouras.
Os políticos e os dirigentes africanos devem pôr as mãos na consciência e pensar seriamente a nossa África.
Pensar no seu desenvolvimento.
Pensar no seu todo.

Nha mantenhas

Arnaldo Djú, Portugal

UNIÃO EUROPEIA PRONTO A DAR + DE 30.OOO.OOO €...



A União Europeia tem prontos para execução ou em fase preparatória avançada programas de apoio à população na Guiné-Bissau no valor de 20 mil milhões de francos CFA (cerca de 30 milhões de euros).

Esses apoios, segundo um comunicado hoje divulgado em Bissau pela delegação da União Europeia, incidem essencialmente nas áreas da Saúde, Educação, Água e Energia Elétrica e Alimentação.

"Além das atividades dos nossos Estados-membros, a União Europeia já tem em curso mais de 30 programas de cooperação em benefício direto da população, cuja execução é confiada aos nossos parceiros, incluindo organizações da sociedade civil guineense, organizações não-governamentais internacionais e Agências especializadas das Nações Unidas tais como a PAM, UNICEF e OMS", disse o embaixador Joaquín González-Ducay, chefe da delegação da União Europeia em Bissau, citado no comunicado.

Esses programas em curso incidem nas mesmas áreas e estão orçados em 33 mil milhões de francos CFA (mais de 50 milhões de euros), diz o documento.

Esta semana, o representante do secretário-geral da ONU na Guiné-Bissau, José Ramos-Horta, pediu à União Europeia para que retome os apoios ao país através, por exemplo, da UNICEF, acrescentando que sanções afetam milhares de crianças.

"Encontrem outros mecanismos de apoio, agora sancionar, retirar todo o apoio, que afeta diretamente milhares e milhares de crianças? não sei como é que isso pode fazer valer os princípios que a União Europeia e outros defendem", disse Ramos-Horta.
LUSA

25 DE MAIO...




UM BOM DIA DE ÁFRICA À TODOS, QUE A NOSSA "MAMÃE" ÁFRICA SEJA PRÓSPERA PARA TODOS AQUELES QUE A QUEREM BEM.

MAIS UMA... "DETENÇÃO"...



O jornalista de Bissau Digital e apresentador do célebre programa matinal da Rádio privada Galáxia de Pindjiguiti «BOM DIA GUINÈ», Sumba Nansil, foi preso pela Polícia Judiciária, a mando do Ministério Público.

A detenção, que logo suscitou agitações no seio da classe jornalística guineense e da sociedade, insere-se no âmbito de um processo em que Sumba Nansil é acusado, pela Procuradoria-Geral da República,
de ter publicado um artigo envolvendo as declarações do Bastonário da Ordem dos Advogados, nas quais, Domingos Quadé pediu ao Ministério Público que proceda uma ampla investigação sobre a corrupção.

No entender da Procuradoria-geral da República, o jornalista teria adulterado as reais declarações do Bastonário, ao ter escrito que este apontou o «dedo acusador» apenas ao Ministério Público, facto que, para a Procuradoria-geral da República, pretendia lesar o bom nome da instituição, que decidiu interpor uma acção judicial contra Sumba Nansil.

A detenção do jornalista em nada está relacionada com este processo específico mas enquadra-se num outro, no qual Nansil é acusado de crime de desobediência, por se ter alegadamente recusado a receber uma das notificações do magistrado encarregue do processo.

Sumba Nansil tinha-se deslocado ao Ministério da Justiça para tratar de um assunto particular, ocasião em que um oficial da justiça o interceptou com a citada notificação para assinar, que, ao que tudo indica, tratava-se da aplicação de uma medica de coacção sob
Termo de Identidade e Residência.
A atitude foi repudiada pelo jornalista, que considerou que a notificação deveria ser endereçada ao seu local de trabalho ou ao escritório do seu advogado, em vez de ser entregue ocasionalmente na rua, como foi o caso.

O magistrado do Ministério Público considerou o acto do jornalista como uma clara desobediência judicial, ordenando a sua imediata detenção, em cumprimento de uma ordem expedida desde Maio, mas só agora é que foi executada pela Policia Judiciária.

O advogado de Sumba Nansil, Alex Bassucu Santos Lopes, considera extemporânea a execução da ordem de prisão. O principal processo que envolve o jornalista encontra-se no Tribunal Regional de Bissau, para efeitos da marcação do julgamento. O causídico quer que tudo seja esclarecido na sessão de julgamento, cuja data não foi ainda anunciada.

PNN

quinta-feira, 23 de maio de 2013

DOMINGOS SIMÕES PEREIRA OUVIDO NO TRIBUNAL MILITAR...



O ex-secretário executivo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), Domingos Simões Pereira foi hoje ouvido, na qualidade de declarante, no Tribunal Militar de Bissau,
no âmbito de um processo de alegada tentativa de golpe de Estado.

À saída da audiência, Domingos Simões Pereira, acompanhado pelos seus advogados, afirmou ter sido convocado na qualidade de declarante e que foi com esse estatuto que abandonou o tribunal.

"Estou a sair como entrei. Um cidadão nacional. Vim cumprir um dever de cidadania colocando-me à disposição dos tribunais e espero ter contribuído para clarificar um assunto que o tribunal queria de facto esclarecer", disse Simões Pereira.

Acompanhado pelos advogados Armando Mango (ex-bastonário dos advogados da Guiné-Bissau) e Alberto Batista Lopes (chefe de gabinete do antigo Presidente guineense Malam Bacai Sanhá). 

"Posso dizer que tem a ver com o caso 21 de outubro, prestei algumas declarações e foi a esse nível", observou Simões Pereira, que considera também que o tribunal quis "tirar a limpo" o facto de o líder da alegada intentona, o capitão Pansau N'Tchamá (já condenado em tribunal), ter referenciado o seu nome durante o julgamento.

"Nunca conheci o capitão Pansau N'Tchamá, nunca estive com ele, nunca tivemos qualquer tipo de contactos", observou Simões Pereira, dizendo ainda que vai continuar com a sua campanha para a liderança do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), principal força política guineense que deve ir ao congresso nos próximos tempos.

"Ele foi chamado como simples declarante, porque no âmbito de um processo o seu nome foi chamado por uma pessoa. Ele entrou como declarante e sai como declarante, naturalmente", sublinhou o advogado Alberto Lopes.

EXIGÊNCIAS DE MUDANÇAS DE DEFESA NA G.BISSAU...



A União Europeia (UE) e a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDAO) consideram importante para a Guiné-Bissau que haja mudanças nas forças armadas e de segurança do país, "especialmente a renovação da liderança militar superior".

"A UE e a CEDEAO concordam que reformas profundas e irreversíveis, começando com a reestruturação radical das forças armadas e de segurança, especialmente a renovação da liderança militar superior, bem como uma profunda reforma dos setores de segurança e da justiça e do sistema político, são essenciais para a estabilização e prosperidade do país", diz um comunicado hoje divulgado.

O comunicado refere-se a uma reunião ocorrida em Bruxelas no passado dia 16, cujo conteúdo só hoje foi tornado público através de um comunicado do gabinete da União Europeia em Bissau.

Em relação à Guiné-Bissau, UE e CEDEAO "expressaram ainda a sua profunda preocupação com a infiltração inquietante em todas as estruturas do Estado pelo crime organizado e o narcotráfico, observando que a detenção do ex-chefe da marinha, sob acusação de narcotráfico, e a acusação ao atual chefe do Estado Maior General das Forças Armadas, de alegada participação no narcotráfico, demonstram a
gravidade do problema".

A UE e CEDEAO pedem "a todas as pessoas com cargos de responsabilidade em Bissau" para que demonstrem "o seu firme compromisso na luta contra o narcotráfico", e reiteram que "todas as pessoas ligadas com qualquer violência e atividades anticonstitucionais e desestabilizadoras serão responsabilizadas pela comunidade internacional, incluindo a CEDEAO e a UE".

A União Europeia e CEDEAO juntaram vozes ainda na exigência de um roteiro inclusivo e eleições ainda este ano, tendo a União Europeia manifestado disponibilidade para apoiar a realização das eleições.

LUSA

quarta-feira, 22 de maio de 2013

NOVO PALÁCIO DA JUSTIÇA...



Como foi publicado há umas semanas atrás, a China vai mesmo construir o Palácio da Justiça da Guiné-Bissau que está orçada em cerca de 11 milhões e deverá estar pronto em 2014. O acordo foi assinado hoje.

O Palácio, a ser erguido de raiz na zona de Brá, periferia de Bissau, num terreno situado ao lado da embaixada de Angola e do Palácio do Governo(também construído pela China), deverá ter quatro blocos onde vão funcionar a Procuradoria-Geral, o Supremo Tribunal de Justiça, o Tribunal de Contas e o Tribunal Administrativo. O projeto contempla ainda uma sala de julgamentos, mas não irá albergar o Ministério da Justiça.




PROTESTO CONTRA PROTESTO...



Os alunos da Escola Superior de Educação (ESE) da Guiné-Bissau fecharam hoje a cadeado as portas do estabelecimento de formação de professores em sinal de protesto pela greve dos docentes das escolas públicas do país.

Os professores das escolas públicas guineenses estão de greve geral há quase um mês, reclamando o pagamento de salários em atraso.

Evanir Nunes Ocaia, presidente da Federação dos alunos da ESSE, disse à Agência Lusa que o fecho das portas da escola "é por tempo indeterminado" e surge como "medida de pressão ao Governo" para que pague os salários aos professores, que já não recebem há oito meses.

O fecho do portão da Escola Superior de Educação fez com que os alunos do departamento de Língua Portuguesa, que têm o apoio do Instituto Camões a partir de Portugal, também estejam sem aulas.

Evanir Ocaia sabe que está a prejudicar os alunos que aprendem a língua portuguesa, mas considera ser a única forma de pressionar o Governo guineense no sentido de resolver o problema.

"Por ser um curso que recebe o apoio de um Governo de outro país (Portugal) e por esse motivo funcionava sem problemas. O nosso Governo vai ter de tomar medidas porque eles também estão sem aulas", defendeu o presidente da Federação dos alunos da ESE.

"A ideia é bloquear tudo. Não vai funcionar nada até que se resolva o nosso problema", disse Evanir Ocaia, que considera insignificante o número de alunos que frequentam o ensino da Língua Portuguesa na ESE.

"É como se fossem uma gota de água no oceano. Achamos injusto que estejam a ter aulas enquanto nós, que somos o grosso dessa escola, estamos sem aulas", afirmou o dirigente estudantil.

As portas da escola, no bairro de Missirá, só voltarão a abrir com o pagamento de salários aos professores de todos os cursos e ainda quando a direção da escola melhor de condições de trabalho e de aprendizagem, defendeu Evanir Ocaia.

"Exigimos que haja Internet, corrente elétrica suficiente, abertura da sala do conselho técnico pedagógico durante a noite, a reabilitação do ginásio do Enefd" (Escola Nacional de Educação Física e Desporto) que faz parte da ESE, sublinhou Ocaia.

A ESE tem mais de três mil alunos, em cursos diversos para chegar à carreira docente.

LUSA

COMO A MÚSICA PODE CONTRIBUIR NO DESENVOLVIMENTO E DIVULGAÇÃO DE UM PAÍS!!!!...




CLIQUE AQUI...OBRIGADO TABANKA DJAZ, PELA ELEVAÇÃO DO NOME DA GUINÉ E PELO ORGULHO DO VOSSO "GUINENDADI"...FORÇA.

domingo, 19 de maio de 2013

MAIS QUE EVIDENTE...


" PODEM FAZER TODAS AS ELEIÇÕES DO MUNDO, ENQUANTO NÃO RESOLVER PROBLEMA DOS MILITARES, NADA FEITO "


ESTAS SÃO PALAVRAS DO CARLOS LOPES, SECRETÁRIO EXECUTIVO DA COMISSÃO ECONÓMICA DA ONU PARA ÁFRICA,REFERINDO A SITUAÇÃO DA GUINÉ BISSAU.



ENTENDERAM? É ISSO MESMO, CRIEM AS CONDIÇÕES PARA QUE OS MILITARES POSSAM, DE UMA VEZ POR TODAS, FICAR... NOS SEUS RESPETIVOS LUGAR. 

sexta-feira, 17 de maio de 2013

O FENÓMENO "TALIBÉ"



A UNICEF na Guiné-Bissau manifestou-se hoje preocupada com o fenómeno das crianças talibé, que são levadas para o Senegal e privadas de direitos, considerando esse "tráfico de crianças" como de "dimensões preocupantes".

"Com base em evidências podemos dizer que a exploração em definitivo existe, e quando existe a saída de crianças de forma ilegal para fins de exploração podemos afirmar com toda a certeza que existe o tráfico de crianças", disse aos jornalistas o representante da UNICEF, Abubacar Sultan.

O responsável falava a propósito da primeira conferência regional de Gabu (leste da Guiné-Bissau), que durante dois dias discutiu "a problemática das crianças talibés", numa iniciativa do governo regional e que teve o apoio da UNICEF.

O objetivo do encontro de Gabu foi juntar "os principais atores" regionais e nacionais para "repensar o problema e as suas implicações, e sobretudo encontrar um consenso relativamente a melhores formas de prevenção mas também de atendimento das crianças que já se encontram nessa situação", disse Abubacar Sultan.

Em causa estão crianças guineenses, normalmente de famílias vulneráveis, que são levadas maioritariamente para o Senegal para escolas vocacionadas para o ensino do Corão e que lá são sujeitas "a todo um conjunto de violações dos seus direitos, fundamentalmente o próprio direito à educação, seguindo-se depois violência, abuso, exploração e humilhação", nas palavras do responsável

Essas crianças são por norma forçadas à mendicidade, salientou Abubacar Sultan, frisando que o que preocupa a UNICEF não são as crianças talibé em si, porque se trata de uma questão religiosa e do direito à educação, "mas sim o aproveitamento dessa situação para a exploração das crianças, a sujeição à violência, abusos e privação, no sentido de lhes criar uma personalidade humilde".

Na conferência de Gabu, acrescentou, sentiu-se que os líderes religiosos se pretendem distanciar da prática, embora também se tenha concluído que o fenómeno é grave e tem vindo a ganhar contornos e proporções preocupantes.

O representante da UNICEF disse ser impossível quantificar o número de crianças guineenses que estão no Senegal mas disse que cerca de 30 por cento das crianças que estão nos centros mais precários do Senegal têm origem na Guiné-Bissau. Num estudo de 2007 referia-se existirem 2000 crianças guineenses no Senegal (algumas a partir dos quatro ou cinco anos), mas "há evidências de que esse número tenha crescido", disse.

Abubacar Sultan considerou fundamental suprimir as necessidades de ter educação noutros países e fazer a prevenção de casos de tráfico de crianças. As conclusões da conferência, disse, foram nesse sentido.

Nos compromissos assumidos pelos participantes na conferência de Gabu surge em primeiro lugar na lista de prioridades a necessidade de adotar acordos e parcerias entre o Estado e entidades que trabalham com a criança, no sentido de permitir o acesso à educação institucional e religiosa.

Os participantes, governo, líderes religiosos, agentes de justiça, pais e organizações não-governamentais, comprometeram-se também em promover o recenseamento dos grandes centros de escolas do Corão e escolas madrassas, e criar mecanismos de incentivo às escolas corânicas e madrassas dentro da Guiné-Bissau.

LUSA

" BISSAU CUP "



Antigas glórias do futebol guineense vão organizar, entre 18 a 21 de maio, a primeira edição da Bissau Cup, para a qual convidaram empresários e agências de renome no futebol mundial, com destaque para a Gestifute de Jorge Mendes.

O torneio é organizado por antigos jogadores guineenses que evoluíram no futebol português, nomeadamente Bobo (ex-Boavista), Nogueira (ex-Gil Vicente), Adilé Sebastião (ex-Leixões, Boavista e Salgueiros), entre outros.

Vital Sauané, agente de jogadores e um dos organizadores da
Bissau Cup disse à agência Lusa que, além da Gestifute, vão estar no torneio "olheiros" do Benfica, Sporting, Arsenal, Liverpool, Chelsea e PSV Eindhoven.

O treinador português Paulo Torres é um dos agentes de futebol que vai estar na observação dos jovens jogadores de sub-17.

"A ideia é trazermos os empresários para virem ver os nossos talentos no seu habitat natural. Aqui temos matéria-prima que nunca mais acaba", disse Sauané

Para a edição do próximo ano, os organizadores tencionam alargar o número de convidados, isto é, de empresários e clubes europeus.

AMIGO CHINÊS...



O ministro da justiça informou hoje que está no país desde o dia 5 de Maio uma delegação técnica Chinesa para concluir os aspectos técnicos do projecto de construção do palácio de justiça, cuja assinatura do acordo deverá acontecer na próxima semana.

Em entrevista conjunta à rádio sol mansi e à RDN o ministro, Mamadu Saído Balde afirmou que os trabalhos estão a correr muito bem e que a avaliação técnica do projecto termina esta sexta-feira.

Mamadu Saído Balde disse ainda que está prevista para a próxima semana a assinatura do acordo com a república popular da China.





Os dois principais partidos da Guiné-Bissau assinaram hoje um memorando de entendimento que compreende nomeadamente a remodelação do atual governo, mantendo o primeiro-ministro, Rui de Barros.

O acordo foi assinado na sede da União Africana em Bissau e juntou o primeiro vice-presidente do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGV), Manuel Saturnino da Costa, e o presidente do Partido da Renovação Social (PRS), Alberto Nambeia.

Ovídeo Pequeno, o representante da União Africana na Guiné-Bissau, que conduziu as conversações entre os dois partidos, salientou a "vontade política" das duas forças em ultrapassar obstáculos e pediu esforços para que haja um consenso alargado da classe política guineense que vá além dos dois principais partidos.


quinta-feira, 16 de maio de 2013

PARABÉNS: FLORA GOMES...

ENTREVISTA DE FLORA GOMES, NA ESTREIA DO FILME "MININU DI RUA" - CLIQUE E LEIA.

RAMOS HORTA E A DEFINIÇÃO DA SITUAÇÃO POLÍTICA GUINEENSE



O representante da ONU na Guiné-Bissau disse hoje acreditar que a situação política se defina na próxima semana e que, se tudo correr como previsto, haverá uma conferência de doadores em 2014 para apoiar o país.

Na sequência do golpe de Estado do ano passado e da formação de um Governo de transição, a comunidade internacional tem exigido a formação de um Governo mais inclusivo, a aprovação de uma agenda de transição e a realização de eleições este ano.

Se, quanto à realização de eleições, os políticos, sociedade civil e militares já se entenderam, até agora não houve entendimento quanto aos outros dois pontos. Ramos-Horta afirmou-se, no entanto, otimista e disse acreditar que tudo ficará resolvido até à próxima semana.

"Sabemos que há muita imprevisão e desenvolvimentos inesperados nas negociações políticas", disse José Ramos-Horta, acrescentando saber também que estão a ser feitos "esforços", nomeadamente pelos dois principais partidos, PAIGC e PRS.

Para a manhã de hoje chegou a estar marcada a assinatura de um memorando de entendimento entre os dois partidos, na sede da União Africana (UA), que tem estado a mediar as negociações. A assinatura foi adiada para o fim da tarde.

O Presidente de transição, Serifo Nhamadjo, ausente no estrangeiro, também deverá chegar na tarde de hoje, pelo que Ramos-Horta acredita que até à próxima semana será anunciado um novo Governo e o roteiro de transição, para que posteriormente seja assinado "um pacto de regime para o pós eleições".

"Continuo otimista, é preciso dar tempo, não pressionar demasiado. O ideal seria que o acordo e a formação do (novo) Governo de transição tenha lugar antes da cimeira da União Africana, no fim do mês em Adis Abeba, o que abriria as portas para a readmissão da Guiné-Bissau", suspensa da UA depois do golpe de Estado, disse.

O chefe do gabinete da ONU em Bissau (UNIOGBIS) referiu ainda que o novo Governo não tem de corresponder às expectativas da comunidade internacional, mas sim da sociedade guineense e que para isso é preciso que o PAIGC participe, sendo a distribuição de pastas da forma que os políticos guineenses entenderem.

Ramos-Horta salientou que nos Estados Unidos se encontrou "com mais de 50 embaixadores", incluindo todos os da União Europeia, e com o secretário-geral da ONU, para debater a questão do país.

"Devo dizer que conseguimos colocar a Guiné-Bissau no mapa pela positiva, e não só pela negativa, não só pela questão da droga", disse, acrescentando que "há boa vontade e determinação da comunidade internacional para voltar a apoiar a Guiné-Bissau com força, para que a paz e a estabilidade voltem de vez".

No caso de se cumprir a agenda de transição, eleições e se forme um Governo estável haverá então uma conferência internacional para angariar fundos para o país.

UMA PARTICIPAÇÃO ATIVA

CAROS AMIGOS, CONHECIDOS E COMPATRIOTAS, A GERÊNCIA DO BLOG " POVU KA BURRU " CONVIDA A TODOS AQUELES QUE PRETENDAM CONTRIBUIR COM ARTIGOS DE OPINIÃO, PONTOS DE VISTA, CRÍTICAS E INFORMAÇÕES QUE O PODEM FAZER ATRAVÉS DO SEGUINTE E-MAIL:

 daguibi@gmail.com

VENHAM AJUDAR A CONTRUIR E SOLIDIFICAR A CIDADANIA, CONTRIBUINDO COM A INFORMAÇÃO, DIVULGAÇÃO E FORMAÇÃO.

OBRIGADO 

RECORDAR É ...TAMBÉM REVIVER...

“UM DIA AS PESSOAS VÃO LUTAR NO ESTRANGEIRO PARA CONSEGUIR VISTO PARA VIR À GUINÉ BISSAU. VÃO-SE BATER PARA TER O PRIVILEGIO DE VIVER NA NOSSA TERRA”. - Henrique Pereira Rosa.

COM OS SEUS DEFEITOS COMO TODOS, PORQUE NINGUÉM É PERFEITO, O PRESIDENTE HENRIQUE P. ROSA MOSTROU A SUA PRINCIPAL RAZÃO DA CIDADANIA...
OBRIGADO "PRESI".

quarta-feira, 15 de maio de 2013

GUINÉ GASTA MAIS NA SAÚDE, MAS...VIVE MENOS...


A Guiné Bissau gasta mais do triplo do que Cabo Verde com a Saúde, mas a esperança média de vida regista uma diferença superior a 20 anos a favor dos cabo-verdianos, segundo um relatório da OMS.

De acordo com os dados hoje divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) no seu relatório `Estatísticas Mundiais de Saúde 2013`, a Guiné Bissau gasta 7% do seu Produto Interno Bruto em despesas de saúde, ao passo que Cabo Verde apenas precisa de 2,3% para conseguir chegar a uma esperança média de vida à nascença de 72 anos, ou seja, 22 anos a mais.

O relatório com 172 páginas apresenta dados sobre variados aspetos da saúde, desde os gastos por habitante até à incidência de várias doenças nos cidadãos, passando pelo número de médicos por habitante e por uma análise do cumprimento dos Objetivos do Milénio, um conjunto de metas a serem atingidas até 2015.

Cabo Verde também se destaca dos restantes países lusófonos em África (só haverá dados para o Brasil "nos próximos meses", refere a OMS) no que diz respeito à probabilidade de uma criança morrer antes dos cinco anos: 21 por cada mil nascimentos, o que contrasta com a Guiné Bissau (161) e com Angola (158), os países que apresentam o pior registo neste capítulo.

Um dos itens onde Cabo Verde não tem uma liderança significativa é, aliás, no que diz respeito à morte por sida por cada cem mil habitantes: 32 contra 33 em São Tomé, o que contrasta com Moçambique, que apresenta o pior registo nesta área: 310.

Entre os países lusófonos, o que tem o menor número de médicos por cada 10 mil habitantes é Moçambique (embora não haja números para São Tomé e Príncipe). No extremo oposto está Cabo Verde, com 3, e pelo meio está a Guiné Bissau, com 0,7, e Angola, com 1,7.

Os esforços dos países a nível mundial para alcançarem os Objetivos do Milénio (ODM) resultaram numa melhoria nos indicadores de saúde dos países com piores condições, de acordo com as estatísticas hoje divulgadas pela OMS.

"As diferenças entre os países mais desfavorecidos e os mais desenvolvidos do mundo estão a reduzir-se", disse hoje numa conferência de imprensa para apresentação do relatório `Estatísticas Mundiais de Saúde 2013` o diretor do Departamento de Estatísticas de Saúde e Sistemas de Informação da OMS, Ties Boerma.

A melhoria no número de mortes de crianças com menos de cinco anos e a descida do número de casos de pessoas infetadas com o vírus da Sida são dois dos exemplos apontados pelo responsável como podendo ser atribuídos diretamente aos esforços que os países estão a fazer para cumprirem com os ODM, um conjunto de metas a serem alcançadas até 2015.

Estas melhorias, afirma o diretor do Departamento de Estatísticas de Saúde e Sistemas de Informação da OMS, contribuem para um aumento da esperança média de vida no mundo, que passou de 62 anos, em 1990, para 68 em 2011, para os homens, e de 67 para 72 anos, no mesmo período, para as mulheres.

RTP

???????????????????????????????????????????????.....







O ex-Primeiro da Guiné Bissau, Carlos Gomes Júnior, "
estaria" a ser investigado pela Polícia Judiciária (PJ) portuguesa, por receber de transferência, 1,5 milhões de euros em Portugal.Carlos Gomes Júnior terá recebido esse montante através do empresário angolano, Domingos Manel Inglês.A operação foi comunicada pelo banco à PJ e ao Departamento Central de Investigação e Acção Penal, que investiga as movimentações financeiras do cidadão angolano, no âmbito do processo de denúncia deste empresário.

 Carlos Gomes Júnior terá recebido a referida transferência em Julho de 2012, através de bancos internacionais.


Esta notícia foi avançada pela revista Sábado, na sua edição do dia 9 deste mês.

FUNERAL DE ESTADO...

O Governo de transição da Guiné-Bissau lamentou hoje a morte de Henrique Rosa e prometeu um funeral de Estado para o ex-Presidente de transição, falecido em Portugal vítima de doença, anunciou o porta-voz do executivo, Fernando Vaz.

PRECISAMOS DE MAIS " HENRIQUES ROSAS "...



A Guiné-Bissau precisa de
"mais Henriques Rosas", homens "simples e fora do sistema" para resolver todos os problemas com que se confronta, disse hoje o antigo presidente de Cabo Verde Pedro Pires.

"A morte de Henrique Rosa é uma grande perda. O caso de Henrique Rosa é a prova de que há gente disponível e séria, na Guiné-Bissau, para contribuir para a resolução dos problemas. Atualmente, a Guiné-Bissau precisa de mais Henriques Rosas, simples, fora do sistema, mas que podem contribuir para resolver a grave situação com que o país se confronta", afirmou.

"
Queria prestar homenagem a um amigo e a um antigo presidente da Guiné-Bissau que serviu o país num momento bastante crítico e que, apesar da inexperiência política, conduziu o país até às eleições, que decorreram nas melhores condições. Prestou um serviço útil à Guiné-Bissau", salientou.

"Demonstrou que, afinal, na Guiné-Bissau, há gente capaz, que pode perfeitamente dirigir o país, conduzi-lo de forma correta e ética. Deixo aqui a minha homenagem a esse amigo que soube responder a um apelo e soube desempenhar bem a função para que foi escolhido", acrescentou.





CRIMINALIZAÇÃO DA VIOLÊNCIA DOMESTICA...



O Parlamento Guineense vai debater na próxima sessão um projeto de lei para tornar
crime público a violência doméstica, que afeta 86 por cento das mulheres segundo um estudo de 2011.

Sob o lema "Promessa é promessa. É hora de agir" a questão da violência doméstica está hoje a ser debatida na Assembleia Nacional Popular
(ANP), no sentido de sensibilizar os deputados para a importância do projeto de lei que será levado à próxima sessão plenária.

A deputada Aba Serra, presidente da Comissão Especializada da Mulher e da Criança (da qual saiu o projeto de lei), disse que a iniciativa legislativa é abrangente e que não se restringe apenas à violência doméstica contra a mulher e a criança mas também contra os homens.

"A violência doméstica é um atentado contra o direito à vida, à integridade física e psíquica da pessoa humana", alertou a deputada Aba Serra, presidente da Comissão Especializada da Mulher e Criança, para quem na Guiné-Bissau se assiste "
a uma crescente violação dos direitos humanos" e as principais vítimas são mulheres de todas as idades.

Maria Inácia Sanhá, presidente do Instituto da Mulher e da Criança, pediu aos deputados um
voto por unanimidade a favor da lei, que está a ser preparada desde 2010
O presidente do Parlamento, Sory Dajaló, apoia a iniciativa e hoje pediu aos deputados para que não só aprovem a lei como estejam atentos posteriormente em casos da sua violação.

SENTIDAS CONDOLÊNCIAS...





Empresário e fervoroso católico, Henrique Rosa, que hoje morreu, no Porto, foi Presidente de transição da Guiné-Bissau.

Há vários meses em Portugal, devido a questões de saúde, de que acabaria por morrer hoje, no Hospital de São João, Henrique Pereira Rosa era filho de pai português, tendo-se assumido sempre como "um patriota amante da paz". Nasceu em Bafatá, leste da Guiné-Bissau, a 18 de janeiro de 1946.

Um homem de fé e amigo da hierarquia da Igreja (nomeadamente o antigo bispo Dom Septimio Ferrazzetta, com quem trabalhou para o fim da guerra civil na Guiné-Bissau de 1998/99), apenas entrou para a política ativa em 2003, quando foi a personalidade escolhida para Presidente de transição. N
a altura, a Guiné-Bissau atravessava mais uma das suas cíclicas crises, tendo o Presidente eleito, Kumba Ialá, sido derrubado num golpe militar.



A Presidência que protagonizou foi elogiada por toda a comunidade internacional, tendo os parceiros que mais perto com ele lidaram considerado na altura que se tratava de um homem de "uma qualidade extraordinária" e a personalidade ideal para o período de transição.

Homem discreto e educado, calmo e ponderado, antigo presidente da Comissão Nacional de Eleições, cargo que ocupou pouco tempo por, como disse na altura, não gostar de intrigas, acabou por tomar o gosto pela política e candidatou-se a Presidente nas eleições antecipadas de 2009, ficando em terceiro lugar.

Com a derrota, voltou aos negócios, mantendo-se sempre como uma referência do país, como uma voz escutada, muitas vezes confundida mesmo com a "voz" da Igreja Católica, tais as ligações ao bispado guineense (era amigo do atual bispo, Dom José Camnaté). Era presença assídua na missa de domingo da catedral, a escassos metros da casa onde sempre viveu, mesmo quando foi Presidente de transição.

Após a morte, por doença, do Presidente eleito (Malam Bacai Sanhá) e a marcação de presidenciais antecipadas, Henrique Rosa voltou a concorrer. Os resultados da primeira volta não lhe foram nada favoráveis, mas o escrutínio não chegou ao fim, devido a mais um golpe de Estado, a 12 de abril do ano passado.

QUE A SUA ALMA ENCONTRE UM LUGAR NO REINO DA PAZ.

NUNCA É TARDE PARA ACORDAR PARA VIDA...TEM QUE HAVER VONTADE...



O Procurador-Geral da Republica da Guiné-Bissau, disse hoje que a democracia está em perigo no país
com o espancamento sistemático de cidadãos por agentes ligados aos serviços do Estado.

À margem de uma visita do novo presidente do Supremo Tribunal de Justiça ao Ministério Publico, Abdú Mané reagiu ao espancamento no último fim de semana de Ensa Sanha, recentemente nomeado embaixador dos Direitos Humanos.

"Lamentamos porque estamos a viver uma espécie de deterioração cíclica sobre a liberdade e a vida. Nós não podemos aceitar o espancamento na nossa sociedade. A nossa bandeira desde o início (de funções) foi o combate à impunidade. Tem que se investigar, havendo indícios de cometimento de crime,
vamos avançar, contra seja quem for", disse o Procurador Abdú Mané.

terça-feira, 14 de maio de 2013

MEDICAMENTOS FALSOS PREOCUPAM OS ENFERMEIROS...



A Ordem dos Enfermeiros da Guiné-Bissau pediu hoje o engajamento de todos na luta para travar a contrafacção de medicamentos no país, um fenómeno que afeta a população carenciada que não dispõe de recursos financeiros.

“A questão da contrafação de medicamentos tem merecido atenção dos profissionais de saúde em todo o país e em particular a ordem”, disse a organização num comunicado, por ocasião do seu primeiro aniversário assinalado segunda-feira, 13 de Maio.

A Ordem dos Enfermeiros é da opinião que o combate a contrafação de medicamentos exige a cooperação entre todos os intervenientes no circuito do medicamento, incluindo a autoridade, o distribuidor, os profissionais de saúde, a inspeção-geral das atividades económicas e os consumidores.

Neste sentido a Ordem considera essencial que os consumidores sejam alertados para adquirirem os medicamentos através das farmácias ou outros locais devidamente autorizados e objetos de inspeções pelas autoridades.

Segundo o comunicado, a grande preocupação da Ordem dos Enfermeiros baseia-se nas denuncias da associação dos consumidores da Guiné-Bissau num debate radiofónico, no qual se manifestou a sua inquietação com determinadas zonas do país com escassez de profissionais de saúde e a precariedade do sistema de distribuição de medicamentos.

Os enfermeiros alertam ainda sobre os riscos de comprar medicamentos no mercado, por não terem sido testados sobre as condições adequadas de fabrico e distribuição, recomendando que qualquer caso suspeito ou identificado deve ser comunicado de imediato à autoridade nacional.

RSM

CASO ENSA SANHÃ...

O estado de saúde do Embaixador de Human Rights Comission espancado no domingo dia 12 de Maio, numa zona desabitada no bairro de Plubá em Bissau, isso depois de ser raptado em pleno luz do dia, está-se a evoluir favoravelmente.
Depois de ser violentado, Ensa Sanhã foi de seguida evacuado para "Ziguenchor"(Senegal), onde se enconra em tratamento especializado.


Diz-se que o Primeiro-Ministro, Rui de Barros, através do Ministro de Interior está determinado para apurar as responsabilidades criminais do caso.

NÃO É UMA QUESTÃO DE POUCA FÉ, MAS MUITOS CASOS DE VIOLÊNCIA, PERSEGUIÇÃO E ESPANCAMENTO ACABARAM NAS GAVETAS...CHEGA DE BARBARIDADE.

AJUDEM AS CRIANÇAS, POR FAVOR...



O Secretário Executivo da Associação Amigos das Crianças
(AMIC) revelou dia hoje que o Centro de Acolhimento das Crianças construído no bairro de Enterramento, em Bissau, não funciona em pleno devido a falta de condições de segurança.
Laudilino Medina disse que o centro,
com a capacidade de albergar 40 crianças, se depara igualmente com a falta de pessoal de assistência técnica e pedagógica para o seu melhor funcionamento.

Apesar das dificuldades com que se depara, este centro tem recebido solicitações de várias instituições
, nomeadamente do Instituto das Mulheres e Crianças, Ministério Público e UNICEF para periodicamente abrigar crianças vítimas de diferentes práticas de violação. 

Para o melhor funcionamento deste centro a AMIC apela maior envolvimento das autoridades estatais.

O Ministério Público pode contribuir na mobilização dos agentes policiais para manter a segurança das crianças neste centro e o Instituto das Mulheres e Crianças poderia contribuir na preparação ou recrutamento de assistentes sociais e pedagogos, disse Medina.

Segundo Laudilino Medina,
neste momento, o centro assiste não no próprio centro mas sim num outro centro religioso uma criança de 13 anos, vítima de casamento precoce.
“Esta criança não pode ficar sozinha no centro por isso recorremos a esse centro religiosa para a abrigar”, esclarece.

O referido centro foi construído em 2010, numa área de 11 mil quilómetros quadrados, com apoio financeiro da Embaixada dos Estados Unidos de América, no valor de cerca de 25 mil dólares americanos.

A AMIC construiu dois centros com o objectivo de acolher, temporariamente, crianças vítimas de casamento precoce, forçado e de tráfico humano. O Outro centro foi erguido na cidade de Gabú, Leste da Guiné-Bissau.
ANG

RENOVÁVEIS CHEGA A BISSAU...



O Governo de transição da Guiné-Bissau e uma empresa norte-americana de energias renováveis lançaram hoje, nos arredores de Bissau, a primeira pedra para a construção de uma central fotovoltaica de 10 megawatts.

A construção da central começa de imediato e deverá estar pronta em seis meses, fornecendo energia a cerca de 40 mil pessoas das regiões de Biombo e também de Bissau, foi anunciado na cerimónia.

Segundo o ministro dos Recursos Naturais e da Energia, Daniel Gomes, nos últimos oito meses foi feita a parte técnica e elaborado e aprovado o projeto, tendo já sido assinado um "convénio de entendimento" com a empresa, o que vai permitir que a Guiné-Bissau seja "o primeiro país" da região "a ter uma central fotovoltaica".

A iniciativa vai ter um grande impacto na economia do país e vai servir para relançar a economia rural, disse o ministro na cerimónia, que decorreu numa zona rural a oeste de Bissau, zona que vai ser servida pela central.

O ministro agradeceu à empresa Suntrough Energy a confiança na Guiné-Bissau ao instalar a central e disse que o projeto contempla a instalação de outra central com idênticas capacidades na região leste, em Bafatá.

Por sua vez, o primeiro ministro pediu a colaboração da população, nomeadamente para respeitar o empreendimento e não deixar que haja furtos, e salientou que quando a central estiver a funcionar surgirão fábricas e os guineenses da zona terão acesso à informação (Internet) como qualquer outro cidadão do mundo.
As soluções para a Guiné-Bissau não podem vir de fora, de fora veem os apoios, frisou Rui de Barros.

A construção da central está orçada em 30 milhões de dólares (23 milhões de euros).
A Suntrough Energy é uma empresa dos Estados Unidos da área da energia solar com larga experiência nesta área.

A Guiné-Bissau tem uma falta crónica de eletricidade. A energia que produz nem chega para a capital, que está a maior parte do tempo "às escuras".